Está com alguma dúvida sobre o surdodesporto? Aqui você encontra algumas respostas sobre os principais assuntos. Caso não tenha encontrado a resposta que deseja saber, entre em contato por e-mail: contato@fdsparana.org.br

Não, pois mesmo sendo Pessoa com Deficiência, não são considerados Paratletas. Porém, isso se deve a questões entre os Comitês Internacionais e com isso ficou decidido que a comunidade surda internacional realizasse seus próprios Jogos Surdolímpicos – o Deaflympics.

Deaflympics, Surdolimpíadas em tradução livre, é um evento multidesportivo internacional, organizado pelo ICSD – International Committee of Sports for the Deaf (Comitê Internacional de Esportes para Surdos, em tradução livre para o português), exclusivo para as pessoas surdas e com deficiência auditiva.

A FDSP considera aquele surdoatleta que tem perda auditiva bilateral igual ou superior a 55dB (cinquenta e cinco decibéis) no melhor ouvido, em conformidade com o ICSD, independentemente da modalidade linguística que utilizam em sua comunicação (libras, oralismo, bilinguismo e outros) e do uso ou não de aparelhos auditivos e/ou implantes cocleares.

Será necessário apenas para o atleta apresentar o exame de audiometria recente que comprova sua perda auditiva bilateral de, pelo menos, 55 decibéis no ouvido melhor. Após a comprovação, quando cumprir a exigência do regulamento do ICSD, receberá um número de identificação autorizado para participar nas competições de desportos de surdos pelas Entidades, as quais é vinculado.

Clique aqui para mais informações poderão ser obtidas no seguinte Regulamento do ICSD.

  • Atleta com surdez unilateral não pode participar, pois deve ter a perda auditiva bilateral de a partir de 55 decibéis em seu melhor ouvido.
  • Atleta com implante coclear (IC) pode participar, mas com ressalvas, desde que faça um exame de audiometria, conforme regulamento do ICSD.
  • Atleta que não sabe língua de sinais pode participar, mas desde que tenha a perda auditiva de a partir de 55 decibéis em seu melhor ouvido.

Lembrando que a FDSP não se importa com modalidade linguística que os atletas surdos e/ou com deficiência auditiva utilizam em sua comunicação (Libras, oralismo, bilinguismo ou outros) e do uso ou não de aparelhos auditivos/implantes cocleares.

Não. Os atletas não podem usar aparelhos auditivos e/ou implantes cocleares durante as competições de surdos, nem mesmo nos treinamentos, em cumprimento do regulamento do ICSD.

O ideal é “surdoatleta”, assim como paratleta (aquele atleta que faz parte do Paradesporto), mas nada impede que o termo “atleta surdo” seja utilizado.

Não. Os membros da Diretoria, bem como os membros do Conselho Fiscal, os auditores do TJD, os representantes de surdoatletas e os integrantes representantes do Estado do Paraná, são de caráter voluntário, sem vínculo empregatício e sem qualquer tipo de bonificação.

Ainda não tivemos projetos aprovados para o recebimento dos recursos públicos e estamos trabalhando para obtê-los em prol do desenvolvimento do Desporto Surdo.

Não, mas estamos trabalhando para alcançar um dos objetivos do Surdodesporto em geral, que é incluir as Entidades Desportivas de Surdos na Lei Agnelo/Piva para receberem esse repasse.

​A FDSP aceita doações e patrocínios em forma de dinheiro (transferências, depósitos e PIX) ou de materiais e serviços (passagens aéreas, uniformes e materiais esportivos). As doações financeiras realizadas não são dedutíveis do IRPF e são aplicadas integralmente nos projetos e eventos desta Federação.

Mais informações, tais como dados bancários, estão na seguinte página: https://fdsparana.org.br/doacao/

Inclusive, esta Federação aceita as parcerias para a cessão de espaços para realização de treinamentos e competições.

Outras informações podem ser obtidas através do e-mail: contato@fdsparana.org.br e as dúvidas também podem ser sanadas por este mesmo e-mail.

Compartilhar em: